Resenhas

Entrevistas

Clássicos

25 livros para entender o papel da Cosac Naify e o livro ilustrado

Dia 30 de novembro o mercado editorial brasileiro - e muitos leitores - foi surpreendido com a notícia de que a editora Cosac Naify,...

Dia das Crianças: 19 fragmentos inesquecíveis em palavras, imagens e mais

    Acho que se alguém pudesse hoje fazer um livro ilustrado dos meus pensamentos, estaria dividido em trechos que elevam a infância, como os próprios...

Ruth Rocha e seus 85 anos nos meus 41

É falar em livro infantil para falar em Ruth Rocha. Também pudera: são dezenas e dezenas de livros e, em 2017, 50 anos de...

87 MÚSICAS PARA FALAR DE ROCK COM AS CRIANÇAS

Esta aqui é diretamente do meu Esconderijo do Tempo, período anos 70 e 80, para quem aí se identificar! Em casa o rock era,...

12 LIVROS ILUSTRADOS EM QUE TEXTO E IMAGEM SE COMPLETAM PARA A NARRATIVA

  “O trabalho de Caldecott anuncia o início do livro ilustrado moderno. Ele criou uma ingênua justaposição de palavra e imagem, um contraponto que jamais...

Pisca-Pisca

A porta-voz de de tudo que nos inquieta: Emília. Vem de Memórias de Emília e, para mim, representa a maestria de Monteiro Lobato para conversar com a gente, em qualquer idade:
_ A vida, senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem para de piscar chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos – viver é isso. É um dorme e acorda, dorme e acorda, até que dorme e não acorda mais. É, portanto, um pisca-pisca.
Visconde ficou novamente pensativo, de olhos no teto. Emília riu-se.
_ Está vendo como é filosófica a minha ideia? O Senhor Visconde já está de olhos parados, erguidos ao forro. Quer dizer que pensa que entendeu… A vida das gentes neste mundo, senhor sabugo, é isso. Um rosário de piscadas. Cada pisco é um dia. Pisca e mama, pisca e brinca, pisca e estuda, pisca e ama, pisca e cria filhos, pisca e geme os reumatismos, e por fim pisca pela última vez e morre.
_ E depois que morre?, perguntou o Visconde.
_ Depois que morre, vira hipótese. É ou não é?