OS CLÁSSICOS

0
  “O trabalho de Caldecott anuncia o início do livro ilustrado moderno. Ele criou uma ingênua justaposição de palavra e imagem, um contraponto que jamais...

0
  Nos contos de fadas, as bruxas sempre usam umas capas e uns chapéus pretos ridículos, e voam em cabos de vassouras. Mas esta história...

0
Por cima, primeira versão, autograda por ela em uma entrevista. Atrás, o Marcelo, Marmelo, Martelo com novo projeto gráfico e ilustras de Mariana...

RESENHAS

0
  Não aceite a correria que normalmente envolve uma visita à exposição: tente, o máximo que puder, explorar este Castelo com calma para degustar detalhes...

0
O escritor Ilan Brenman, um dos mais ativos da nossa literatura infantil, tem uma paixão profunda pelas tantas formas de contar histórias. Para tanto,...

DIZEM POR AÍ...

 

Todas as crianças crescem, exceto uma. Elas logo descobrem que vão crescer, e Wendy descobriu assim: Um dia, quando tinha dois anos de idade, ela estava brincando num jardim e colheu uma flor a mais e correu com ela até sua mãe. Acho que Wendy devia estar mais graciosa do que nunca, pois a sra. Darling levou a mão ao coração e exclamou:

– Ah, bem que você poderia ficar assim para sempre!

Isso foi tudo o que houve entre elas em torno do assunto, mas dali em diante Wendy soube que iria crescer. Todo mundo sabe, depois de fazer dois anos. Dois é o começo do fim.

início de Peter Pan e Wendy, de James Barrie, tradução de Rodrigo Breunig para versão da editora LPM