Rapunzel, Cia. Le Plat Du Jour

1460

LEPLATDUJOURAPUNZELConheci a Cia. Le Plat Du Jour quando as próprias criadoras, as excelentes Alexandre Golik e Carla Candiotto, faziam a versão delas para Chapeuzinho Vermelho. Foi inesquecível como meu marido e eu – ainda sem filhos, veja só – nos divertimos! Era no pequenino teatro do Eva Herz, na avenida Paulista e eu me senti como se fossem duas amigas me contando uma história. Mas uma história para rolar de rir, claro.

 

Voltamos ao encontro do grupo de teatro infantil, um das mais importantes do Brasil, na companhia da minha filha, Clarice, com 1 ano e 7 meses. Ela já havia visto alguns shows e peças e então o auditório “duro” mas aconchegante do Sesc Pompéia não a assustou em nada. Adorou as cadeiras diferentes e, quando as luzes apagaram, não houve choro – ainda bem! E imediatamente ela se ligou no que estava acontecendo lá embaixo, no palco: um jardim de rabanetes falantes. Clarice mesmo não tendo referência de quase nada que se apresentava ali, se divertiu à beça: é assim com a versão para o clássico Rapunzel, um texto com mais de 200 anos que parece novo em folha na interpretação de Adriana Telg e Zilza Brisola.

 

A gente reconhece, claro, todos os elementos principais da história – a menina que é entregue à bruxa pelos pais e vive em uma torre, com tranças que não param de crescer e são extremamente fortes, e vê sua vida mudar completamente ao conhecer um príncipe – mas é tudo costurado com o humor algumas vezes sutilmente ácido da Le Plat, adoravelmente necessário para público de todas as idades. Praticamente não há um minuto que a gente fique sem dar risada, tanto por causa das falas bem feitas (cada palavra colocada de forma precisa, nada a mais, nada a menos), quanto pelo uso de referências do mundo moderno (para você ter uma ideia, um dos encontros do casal é regado a canções pop, de Michael Jackson a Bee Gees). Mas é a dinâmica do roteiro, a capacidade incrível – incrível mesmo, característica do grupo – de as duas atrizes trocarem tantas vezes de papéis durante o espetáculo e a flexibilidade de atuação de cada uma (há até números circenses) que fazem da experiência única para todos da plateia. Tem frases de efeito satirizadas, trocadilhos impagáveis, a maior parte do tempo ambientado a partir de uma espécie de casa na árvore, que se faz de torre, segundo palco e tudo o mais. E ainda tem Toquinho na trilha sonora: li na coluna do Dib Carneiro Neto, no site da Crescer, que o nosso mestre da música brasileira compôs canções especialmente para a peça, o que dá um toque romântico na medida certa para combinar com o humor predominante. De dar a certeza de como vale a pena sair de casa para assistir a uma peça.

 

Rapunzel

Quem: Cia Le Plat du Jour

Quando: até 4 de março de 2014, aos sábados e domingos às 12h

Onde: Teatro do Sesc Pompéia

Classificação indicativa: Livre

Ingressos: R$ 8,00 inteira, R$ 4,00 meia-entrada (usuários inscritos no SESC e dependentes, estudantes, professores da rede pública, pessoas com mais de 60 anos ou deficientes), R$ 1,60 comerciários inscritos no Sesc e dependentes

Duração: 55 minutos

Lotação: 300 lugares

SESC Pompeia – Rua Clélia, 93, Pompeia, São Paulo, SP

Telefone para informações: (11) 3871-7700 ou www.sescsp.org.br

Deixe uma resposta