Dez Causos de Pedro Malasartes e Sua Amiga Dona Veia

3508

dezpedromalasartesDesde que sou criança, o grande contador de histórias da minha casa é o marido da minha irmã, o nosso Zé, que sempre foi um pai para mim. Outro dia, numa das conversas sobre sua infância no interior, ele me revelou que muitas das histórias que ouvia era com Pedro Malasartes, o grande – e adorável – malandro do nosso imaginário popular. Contei isso outro dia a Sérgio Serrano, autor ao lado de Cris Miguel de Dez Causos de Pedro Malasartes e Sua Amiga Dona Veia (Ed. Giramundo), o primeiro livro da dupla Ópera da Mala, muito conhecida pelo programa Baú de Histórias, veiculado pela Cultura e Rá Tim Bum. E ele me disse que como as histórias de Malasartes muitas vezes são, digamos, impróprias para criança (não é uma visão apenas politicamente correta da coisa, acreditem), eles recriam muitos enredos pois o importante é manter vivo o divertidíssimo personagem.

Porém, nem mesmo o já reconhecido trabalho da dupla isenta-os de ouvir que estão “destruindo” a tradição. Confesso que dei boas risadas quando ouvi isso. Veja só a incoerência: um personagem que se mantém vivo porque passa de geração em geração sendo narrado oralmente precisa de regras, segundo alguns. Nem combina com o próprio Malasartes, conhecido por sempre estar tentando tirar vantagem e nunca economizando na gente uma pura diversão. Que sentido tem essa queixa se a tradição oral se dá também pela transformação das histórias, as tantas versões, o olhar e alma de cada contador?

Vocês não imaginam a minha felicidade quando leio ou ouço hoje uma história que lembro ser do repertório do Zé. Nesta deliciosa compilação feita pela dupla Cris e Sérgio (as ilustrações são dele também!) narradas em forma de teatro, eis que vejo uma frase que amo desde criança: “sonhei que tava acordado, acordei para ver e tava dormindo”. O Zé sempre a repete quando estamos atrapalhados nas palavras, ou depois daquele cochilo repentino no sofá. Na história tem um sentido específico. Na minha memória tem vários outros, misturados ao afeto e ao vínculo que me conecta ao meu contador de histórias preferido. E, de tudo isso, a prova que todos fazemos parte de um belíssimo fio: o fio que costura as histórias e as nossas vidas por séculos e séculos.

dezcausospedromalasartescapaDez Causos de Pedro Malasartes e Sua Amiga Dona Veia (Ed. Giramundo)

textos e ilustrações Cris Miguel e Sergio Serrano

2013

palpite: para crianças de 4 a 100 anos

 

 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta